Geração nem-nem: entenda o comportamento desses jovens

COMPARTILHAR:

Entenda o que leva tantos jovens a não buscar especialização para se inserir no mercado de trabalho


De acordo com o estudo divulgado no ano passado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IGBE), feito pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), 23% dos jovens, no Brasil, não está estudando e nem está inserido no mercado de trabalho. Este grupo é chamado, popularmente, de geração nem-nem.

Este termo foi adotado e difundido por diversos países onde o fenômeno dos jovens sem emprego e sem estudos foi visível e marcante nas pesquisas realizadas. Em espanhol, a expressão foi adaptada para generación ni-ni (ni trabajan, ni estudian) e, em inglês, para neet: not in education, employment or training.

Quem faz parte da geração nem-nem?

Aqui no Brasil, conforme a pesquisa, este grupo compreende pessoas de 15 a 29 anos. E, embora o termo geração nem-nem possa parecer carregar uma conotação negativa, estes jovens não estão em ociosidade. O estudo revela que 31% deles estão constantemente em busca de trabalhos, enviando currículos e até mesmo envolvendo-se em atividades temporárias.

64% destes jovens desempenham papel ativo nas atividades domésticas, bem como cuidado de algum familiar ou de um filho pequeno – o que compreende, na maioria dos casos, mulheres.

Somente 3% desta amostra não se enquadra nas características citadas acima, ou seja, são desprovidos de obrigações familiares e não estão buscando emprego, o que faz quebrar o estereótipo de que este é um grupo ocioso e desocupado.

Já um outro estudo, realizado pelo Mindminers, traçou um perfil para 1000 jovens millennials, de 18 a 32 anos, distribuídos, aproximadamente, nas mesmas estatísticas socioeconômicas que a pesquisa do IBGE. Nesta pesquisa, notou-se que 50% dos entrevistados está cursando ou já concluiu a graduação no ensino superior.

O que explica este fenômeno?

Uma das razões para estas estatísticas, segundo os pesquisadores, está na educação básica oferecida no Brasil. Muitos dos jovens que fazem parte da geração nem-nem, no Brasil, sequer têm acesso à educação. Os que têm, encontram condições desfavoráveis nas escolas públicas, com uma educação básica de baixa qualidade.

Portanto, esta questão trata-se muito mais da condição socioeconômica na qual se encontram os jovens descritos como parte da geração nem-nem, do que de uma questão de não querer. Com uma educação precária, estes grupos têm seu acesso limitado ao mercado de trabalho.

Assim, uma coisa acaba levando à outra. Sem base educacional, também fica difícil ter acesso à universidade pública e, sem trabalho, a possibilidade de pagar por uma instituição privada é quase nula.

Já a pesquisa do Mindminers aponta um prospecto mais otimista: 51% dos jovens entrevistados consideram-se ambiciosos e esperançosos quanto ao futuro no que diz respeito a emprego.

O que pode ser feito?

A pesquisa aponta a responsabilidade dos setores de políticas públicas para uma resolução mais eficaz desta questão. A geração nem-nem é composta por uma quantidade relevante de mulheres e, muitas, apesar da pouca idade, já são mães. O aumento das vagas em creches públicas abriria possibilidades para muitas dessas mulheres, já que teriam onde deixar seus filhos enquanto trabalham.

Outra questão é a mobilidade urbana e o transporte público. Muitos dos jovens que vivem nas grandes capitais e fazem parte da geração nem-nem moram em bairros periféricos, onde a oferta e a demanda de linhas de ônibus, trens e metrô são limitadas, dificultando, também, o acesso aos grandes centros comerciais.

Portanto, uma das possíveis soluções a curto prazo seria a melhoria dos serviços de transporte público. Além do incentivo ao comércio local, como forma de maximizar as ofertas de trabalho nos extremos da cidade, o que beneficiaria quem reside em locais afastados do centro.


Incentivo

A pesquisa mostrou que a presença destes jovens na escola, em cursos técnicos e profissionalizantes, e na universidade, dependida muito da escolaridade dos pais. Ou seja: quanto maior o nível de instrução dos pais, maior a frequência e o interesse dos filhos em buscar, também, instrução.

Vê-se que esta também é uma questão de instruir e incentivar estes jovens a continuar seus estudos. O mercado de trabalho está cada vez mais exigente quanto a capacitação e especialização e, felizmente, a oferta de cursos livres e técnicos, só tem aumentado nos últimos anos.

Desta forma, outro fator que pode promover uma mudança significativa neste quadro é uma melhor orientação destes jovens no período do ensino médio, para que procurem dar continuidade aos estudos, ainda que não tenham condições de garantir uma vaga em uma universidade.

É necessário, também, instruí-los a respeito das condições do mercado de trabalho, as vagas mais frequentes, e apresentar a possibilidade de tornar-se um jovem aprendiz. Este tipo de programa, do qual os estudantes participam ainda no ensino médio, conciliando trabalho com estudos, abre portas ao final do período escolar.

Dificuldades e preconceito

Muitos dos jovens que foram entrevistados na pesquisa e que fazem parte da geração nem-nem, sobretudo mulheres que tornaram-se mães muito novas, relataram dificuldades em voltar aos estudos ou inserir-se no mercado de trabalho, tanto pela dificuldade de conciliar os estudos com a maternidade, quanto pelo preconceito e os entraves impostos por possíveis empregadores pelo fato de serem mães.

Isso gera uma evidente desmotivação nesses grupos, que passam a sentir-se como não pertencentes a uma sociedade, já que não encontram condições de participar ativamente.

O outro lado da geração nem-nem

A pesquisa realizada pelo Mindminers constitui uma amostra consideravelmente menor de entrevistados (1000 jovens, enquanto a do PNAD/IBGE compreende 11 milhões). No entanto, neste espectro estão compreendidos jovens pertencentes às classes A, B e C, sendo, a maioria, da classe C.

A maioria dos entrevistados possui ensino superior incompleto e ainda mora na casa dos pais – responderam que pretendem permanecer lá até, pelo menos, os 30 anos.

Nesta amostra, a maioria dos entrevistados também mostra-se preocupada com o futuro do país, o meio ambiente e as questões sociais e de direitos humanos. E, sendo um grupo cuja maioria considera-se ambiciosa, a maior parte demonstra interesse em atuar na área de tecnologia, em grandes empresas ou empreendendo no próprio negócio.

A geração nem-nem é um grupo de pessoas muito diferentes entre si, com desejos, intenções e necessidades distintas. Como vimos, a maior parte encontra-se fora de uma instituição de ensino e do mercado de trabalho, não por escolha, mas por falta de oportunidades e acesso. No entanto, uma parcela menor aparenta ter a condição de optar por uma melhor oportunidade no mercado de trabalho.

COMMENTS

Nome

Abono Salarial,2,Agenda,3,Altinópolis,1,Américo Brasiliense,186,Araçatuba,5,Araraquara,5457,Araras,3,Artur Nogueira,1,Barretos,2,Batatais,1,Bauru,22,Bebedouro,3,Boa Esperança do Sul,8,Borborema,2,Botucatu,2,Brasil,20,Brotas,3,Bueno de Andrada,2,Cajuru,2,Campanha Eleitoral,1,Campinas,29,Carreira,110,Caxias do Sul,1,Cinema,1,Conchal,1,Concurso Público,114,Concursos,24,Cordeirópolis,1,Cosmópolis,1,Cotidiano,1,Covid-19,4,Cravinhos,2,Cubatão,1,Cultura,7,Curiosidades,16,Currículo,10,Cursos,222,Cursos a Distância,54,Cursos Técnicos,10,Datas Comemorativas,34,Descalvado,1,Dicas,192,Dicas para o trabalho,9,Direito Trabalhista,117,Dobrada,1,Dourado,4,Economia,80,Educação,46,Educação Profissional,2,Eleições,5,Emprego,24,Encceja,12,Enem,30,Engenheiro Coelho,1,Ensino Superior,1,Estado de São Paulo,3,Estágios,299,Etec,2,Exposição,1,Fatec,2,Franca,6,Freelance,70,Fuvest,2,Gavião Peixoto,12,Greve,3,Guaíra,1,Guará,1,Guararapes,1,Guariba,2,Guia das Profissões,1,Holambra,1,Home Office,7,Ibaté,23,Ibitinga,6,Indaiatuba,2,Ipuã,1,Itápolis,3,Jaborandi,1,Jaboticabal,8,Jacupiranga,1,Jaguariúna,2,Jovem Aprendiz,77,Limeira,2,Livros,3,Livros Grátis,3,Matão,134,Monte Alto,1,Monte Azul Paulista,1,Motuca,4,Mundo,2,Notas de Falecimentos,1,Notícias,722,Nova Europa,4,Palestras,2,Passo Fundo,1,PCD,1,Pequenos Negócios,13,Pet Animais,1,Piracicaba,36,Piraju,1,Política,4,Pradópolis,2,Pré-Vestibular,1,Presidente Prudente,6,Processos Seletivos,45,Profissões,3,Programas Sociais,2,Ribeirão Bonito,5,Ribeirão Preto,88,Rincão,6,Rio Claro,14,Rio Preto,1,Salários,1,Santa Ernestina,1,Santa Lúcia,9,Santo Antônio de Posse,2,Santos,5,São Carlos,295,São João da Boa Vista,1,São José do Rio Pardo,1,São José do Rio Preto,7,São José dos Campos,7,São Leopoldo,1,São Paulo e Sorocaba,1,São Paulo/SP,36,Saúde,3,Senac,12,Senai,6,Sertãozinho,5,Seu Dinheiro,10,Sorocaba,11,Sumaré,1,Tabupuã,1,Taquaritinga,4,Taubaté,3,Temporário,27,Trabalho no Exterior,3,Trainee,15,Univesp,1,Utilidade pública,2,Vagas abertas,8,Vagas de Emprego,5564,Vagas Patrocinadas,70,Vagas PCD,54,Vale do Ribeira,1,Vestibular,7,Vestibulares,3,Vídeo,7,
ltr
item
Empregos Araraquara: Geração nem-nem: entenda o comportamento desses jovens
Geração nem-nem: entenda o comportamento desses jovens
Entenda o que leva tantos jovens a não buscar especialização para se inserir no mercado de trabalho
https://1.bp.blogspot.com/-gc4izD5Znto/XRC0uNmZwvI/AAAAAAAAqVQ/RTaJ8lJA0Y8fxwl1KVdwvJn5L6kYpZtSQCLcBGAs/s1600/nem-nem.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-gc4izD5Znto/XRC0uNmZwvI/AAAAAAAAqVQ/RTaJ8lJA0Y8fxwl1KVdwvJn5L6kYpZtSQCLcBGAs/s72-c/nem-nem.jpg
Empregos Araraquara
https://www.empregosararaquara.com.br/2019/06/geracao-nem-nem-entenda-o-comportamento-desses-jovens.html
https://www.empregosararaquara.com.br/
https://www.empregosararaquara.com.br/
https://www.empregosararaquara.com.br/2019/06/geracao-nem-nem-entenda-o-comportamento-desses-jovens.html
true
2665611394616304272
UTF-8
Carregou todas as postagens Não foi encontrado nenhum post VER TUDO Consulte Mais informação Responder Cancelar resposta Excluir De Início PÁGINAS POSTAGENS Ver tudo RECOMENDADO PARA VOCÊ RÓTULO ARQUIVO PROCURAR TODAS AS PUBLICAÇÕES Não foi encontrada nenhuma correspondência com o seu pedido Voltar para o início Domigo Segunda-feira Terça Quarta-feira Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junnho Julho Agosto Setembro Outubro Novebro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir ESTE CONTEÚDO PREMIUM ESTÁ BLOQUEADO ETAPA 1: compartilhe em uma rede social ETAPA 2: Clique no link compartilhado em sua rede social, não é compatível com o app do facebook do smartphone, acesse a rede social de um navegador convencional. Copiar todo o código Selecionar todos os códigos Todos os códigos foram copiados para sua área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar Tabela de conteúdo